Carregando...
 

Educação alimentar e nutricional de forma lúdica como estratégia para a promoção de hábitos alimentares em escolares 

Image

Autor do relato: Letícia de Oliveira Silva

Local da experiência: Juiz de fora - MG

Local de implementação: Escola

Qual aspecto do Guia Alimentar para a População Brasileira foi abordado?

Ampliação da autonomia nas escolhas alimentares, os dez passos para uma alimentação adequada e saudável, habilidades culinárias na escola e publicidade de alimentos. 

Qual o objetivo da experiência?

O objetivo do estudo foi desenvolver educação alimentar e nutricional com crianças do ensino fundamental de uma escola pública da cidade de Juiz de Fora – MG. Utilizou-se um jogo lúdico-pedagógico para promover hábitos alimentares saudáveis e verificar a percepção das crianças em relação ao tema e a atividade.

Qual o público alvo? 

Crianças do ensino fundamental de uma escola da rede pública da cidade de Juiz de Fora - Minas Gerais. 

O que motivou a experiência? 

As crianças estão constantemente vulneráveis aos apelos da mídia. A televisão, a mídia preferida pelo público infantil, torna os alimentos não saudáveis em produtos gostosos e atraentes, o que leva as crianças a uma compreensão errada do que seja uma alimentação adequada (HENRIQUES et al., 2012). Os comerciais sobre alimentos ultraprocessados têm gerado muitas preocupações, pois veiculam informações equivocadas sobre a alimentação, supervalorizam esses alimentos e estimulam diariamente o alto consumo de produtos ricos em gordura, açúcar e sal. Isso direciona as crianças a adquirirem hábitos alimentares menos saudáveis, com um consumo cada vez menor de frutas e hortaliças, que são importantes para o crescimento, desenvolvimento e prevenção de doenças (COSTA et al., 2012).

Metodologias que auxiliam no processo de aprendizagem sobre alimentação saudável e nutrição carecem nas escolas brasileiras (MAIA et al., 2012). Recursos diferenciados, como materiais lúdicos, devem ser utilizados para o desenvolvimento de atividades de educação alimentar e nutricional. Dessa forma, as crianças aprendem de maneira simples, gerando conversa e troca de saberes de forma descontraída, levando-as a melhorar seus hábitos alimentares, permitindo o brincar enquanto se aprende (KISHIMOTO, 2008; SILVA et al., 2013; BOTELHO et al., 2010). Assim, as metodologias de educação em saúde voltadas para o público infantil devem ser baseadas em atividades lúdicas, estar inseridas em um contexto e serem devidamente testadas para que possam promover a construção dos conhecimentos sobre alimentação e nutrição e cumprir seu papel educacional (SILVA et al., 2013; MAIA, et al., 2012). 

Como a experiência foi desenvolvida? 

Trata-se de um estudo transversal. Primeiramente, ocorreu em sala de aula uma breve apresentação sobre as funções do nutricionista e a exposição de um cartaz intitulado “Os heróis e vilões da alimentação”, abordando os alimentos in natura, minimamente processados e ultraprocessados através de imagens de alimentos. 

Realizada essa atividade, as crianças foram levadas para o pátio da escola para participarem de um jogo intitulado “Trilha da alimentação saudável". O jogo segue o modelo de tabuleiro, contendo 20 “casas” gigantes com orientações nutricionais e perguntas relacionadas à alimentação. As crianças foram divididas em equipes e tiveram que criar um nome relacionado à alimentação saudável para suas equipes. 

Cada equipe jogava de uma vez, os alunos foram os pinos e tiveram que seposicionar no início. O fluxo de sentido único teve que ser seguido. O primeiro jogador jogou o dado e o número sorteado indicou quantos espaços ele deveria andar e teve que ir lendo em voz alta para os colegas as orientações para se adquirir um hábito alimentar saudável. Explicações eram dadas para complementar as orientações conforme o percurso ia sendo seguido. 

Situações e possibilidades que ocorreram pelo caminho: 

  • quando o jogador parasse no espaço que indicava uma alimentação não saudável, ele deveria voltar duas casas, ao início do jogo ou ainda poderia ficar uma rodada sem jogar; 
  •  parando nos alimentos saudáveis, o jogador conseguia avançar uma, duas ou até três casas; 
  • quando parava na casa com sinal de interrogação, a criança tinha que responder a uma pergunta sobre nutrição e alimentação saudável. 

Quando todas as equipes terminaram, os ganhadores das equipes foram chamado novamente para jogar para decidir qual seria a equipe vencedora. O ganhador e que representou a sua equipe foi aquele que completou todo o percurso e teve o maior número de acerto nas perguntas. Ao termino do jogo, fila por fila, os alunos foram levados ao banheiro para lavar as mãos e receberam uma touca descartável para prepararem um lanche divertido, estimulando habilidades culinárias no ambiente escolar e o consumo de frutas. No final, as crianças receberam um lápis com ponteira de frutas como agradecimento pela participação. 

Quais materiais foram produzidos?

Cartaz “Os heróis e vilões da alimentação”, jogo "Trilha da Alimentação Saudável" e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Nutrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora - MG. 

Quais foram os resultados alcançados?

Em execução. 


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Segunda-feira 25 de Janeiro, 2016 05:13:49 BRST por redenutri@unb.br. (Versão 3)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais