Carregando...
 

Programa de incentivo ao cultivo de hortas e pomares domésticos, sob manejo orgânico, voltado para os pacientes da Casa de Saúde dos Idosos de Valença-RJ (TCC) 

Autor do relato: Priscilla de Carvalho Marinho

Local da experiência: Valença – RJ

Local de implementação: Organização comunitária

Qual aspecto do Guia Alimentar para a População Brasileira foi abordado?

  • Alimentos regionais; 
  • Estímulo ao consumo de frutas, legumes e verduras sem agrotóxicos.

Qual o objetivo da experiência?

Desenvolver um programa de incentivo ao cultivo de hortas e pomares domésticos, sob manejo orgânico, direcionado à população idosa do município de Valença – RJ. 

Qual o público alvo?

Este plano de intervenção é voltado para os pacientes atendidos pela Casa do Idoso do município de Valença – RJ. Ele poderá ser ampliado para toda a família, com a participação de todos. 

O que motivou a experiência? 

A Casa do Idoso, localizada em Valença no estado do Rio de Janeiro, é uma instituição pública referência para pacientes acima de 60 anos.

Dadas as condições nutricionais dos pacientes atendidos no núcleo, julgou-se pertinente realizar um plano de intervenção com o objetivo de melhorar os hábitos alimentares, promovendo saúde e bem-estar social e familiar. 

O Plano Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (período 2012-2015) prevê a implantação de uma Política Nacional de Agricultura Urbana e tem como diretrizes a promoção do abastecimento e estruturação de sistemas descentralizados, de base agroecológica e sustentável de produção, extração, processamento e distribuição de alimentos (O'REILLY, 2014). 

A criação de hortas em espaços comunitários faz com que o processo de incentivo pela alimentação saudável seja incorporado nos hábitos alimentares de uma maneira dinâmica e rápida, pois se cria um vínculo com o alimento. Quando se conhece o alimento e sabe-se dos seus benefícios, as mudanças de comportamento alimentar podem ser mais aceitas. 

As alternativas saudáveis para a alimentação muitas vezes ficam bem distantes da realidade de famílias com menor poder aquisitivo. Essas famílias poderiam se beneficiar de hortas cultivadas em suas próprias residências, livres de produtos químicos, favorecendo uma dieta equilibrada, variada e utilizando alimentos regionais. 

Neste contexto o cultivo de hortas pode ser um importante e valioso instrumento educativo, resgatando valores e a prática de vivencias importantes para a vida social. 

Como a experiência foi desenvolvida?

Para o desenvolvimento deste plano de intervenção, o poder público municipal deverá incentivar o plantio dessas hortas e pomares por meio de doações de mudas, sementes e insumos, além de auxílio técnico necessário à viabilização deste trabalho. 

As etapas desenvolvidas pelo Plano de Intervenção serão divididas em: 

  • Etapa 1: apresentação do plano de intervenção para a Unidade Básica Casa de Saúde do idoso de Valença – RJ 

Agendar uma reunião com a coordenadora da unidade da Casa do Idoso de Valença/RJ com o objetivo de análise e aprovação do com o plano de intervenção; 

Agendar reunião com representante da secretaria de saúde e com um representante do conselho municipal dos idosos. 

  • Etapa 2: Estabelecimento de Parcerias para o plantio

Estabelecer parcerias junto à Secretaria Municipal de Agricultura. 

  • Etapa 3: Plantio  

Iniciar em conjunto com as parcerias realizadas a aquisição de mudas e demais materiais para o plantio e fazer o plantio.

  • Etapa 4: Oficinas

Realizar duas oficinas, em dias e horários diferentes, abordando temas sobre a alimentação saudável e benefícios das frutas, legumes e verduras. 

Montar grupos de discussão sobre o tema vida saudável e fazer a divulgação do trabalho para as famílias dos participantes. 

  • Etapa 5 – Elaboração e apresentação do relatório conclusivo 

Apresentação descritiva do relatório à coordenação da casa de saúde do idoso. 

Quais materiais foram produzidos?

Os seguintes recursos serão disponibilizados pela própria administração municipal, contando com parcerias entre secretarias: 

  • Aquisição de sementes e mudas orgânicas;
  • Materiais reaproveitados para a limitação do canteiro, como pneus velhos, telhas ou madeiras, por exemplo; 
  • Ferramentas de trabalho para o horticultor, como enxada, ancinho, pá, colher de jardinagem, pá, mangueira, carrinho de mão, tesoura, balde, semeadeiras; 
  • Terra;
  • Esterco curtido ou outro tipo de adubo orgânico;
  • Água de boa qualidade;
  • Nutricionistas e assistentes sociais;
  • Técnicos agrícolas, agrônomos e engenheiros ambientais. 

As despesas para a realização deste plano de intervenção podem ser consideradas baixas, visto que os canteiros podem ser feitos nas próprias residências, usando materiais recicláveis, como telhas e pneus velhos para a contenção dos canteiros. Parcerias formadas entre secretarias podem fortalecer o plano com o fornecimento de mudas e sementes, que por sua vez também têm um custo baixo. Os materiais e ferramentas podem ser adquiridos com recurso próprio e as atividades de capacitação podem ser desenvolvidas por funcionários da própria prefeitura. 

Quais foram os resultados alcançados?

O material foi apresentado na última reunião do Conselho Municipal de Segurança Alimentar em abril de 2015. Ainda não houve retorno dos gestores e o projeto ainda não foi realizado. 

Este relato foi enviado pelo autor para compor a 1ª Coleção de Experiências da RedeNutri. 


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Segunda-feira 25 de Janeiro, 2016 09:49:09 BRST por redenutri@unb.br. (Versão 3)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais