Carregando...
 

Relato de Experiência Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil -

Município de Manaus/AM

1. Como foi o caminho para cumprir os critérios de certificação?

Por meio de um Planejamento Estratégico inserido no Plano Anual de Saúde, para as ações pactuadas; Reuniões bimestrais com os Técnicos da Saúde da Criança e Tutores para alinhamento estratégicos; e Monitoramento in loco nas Unidades pelos Tutores.

2. Quais foram os principais desafios/ dificuldades deste processo até a certificação?

  • Desafios: Realizar o monitoramento dos indicadores da EAAB.
  • Dificuldades: Adesão dos gestores  distritais e de unidades para a Formação dos servidores na EAAB.

3. Quais foram os principais facilitadores?

O apoio dos Técnicos da Saúde da Criança e o apoio dos Tutores.

4. Quais são as ações futuras para implementação da Estratégia no seu município?

Hoje estamos com 20 Equipes Saúde Familia Certificadas, aguardando a entrega das Certificações pelo MS, mais 12 Unidades em processo de organização para lançamento no Sistema. Para 2017, realizaremos 19 Oficinas de Trabalho nas UBS para ampliação de 32 para 51 Unidades; e 

Avaliar a Prevalência de Aleitamento Materno e Alimentação saudável. 

5. Na prática dos serviços de saúde como você percebe a efetividade da EAAB? Você (ou os profissionais de saúde) verifica melhoras nos indicadores, como o maior período de aleitamento materno e alimentação complementar mais adequada?

Sim. Pelo próprio Instrumento “Marcador de Consumo Alimentar/SISVAN” e monitoramento que o Tutor realiza nas Unidades.

6. Você poderia detalhar um pouco mais quais são as atividades de aleitamento materno e alimentação complementar que estão sendo desenvolvidas nas Unidades de Saúde?

  • Rodas de Conversa com gestantes e puerperas;
  • Visita pela Equipe de Estrategia Saude da Familia na Primeira Semana de Saúde Integral da Criança para identificar sinais de risco para a mãe e bebê;
  • Criação do “Espaço Criança” nas UBS, para fins de atividades lúdicas envolvendo temas de Alimentação Saudável;
  • Sala de Apoio à Amamentação / Posto de Coleta de Leite Humano – um por distrito de Manaus instalado nas UBS para asssistir a Nutriz e a doadora de Leite Humano.
  • Incentivo ao cultivo de Horta Orgânica em uma Unidade de Saúde;
  • Visitas as Creches e monitoramento das crianças com Risco Nutricional, para garantir a referência e contra-referência na Rede de Serviço de Saúde; / Reunião com os pais informando sobre os cuidados da alimentação infantil; / Capacitação das Merendeiras para a manipulação dos alimentos e emprego de Técnicas dietéticas adequadas no preparo da Merenda Escolar.
  • Atividade Educativa nas Escolas para Crianças e Adolescentes para prevenção obesidade e incentivo ao Consumo de frutas, verduras e legumes.
  • Durante todo mês de Agosto as Unidades de Saúde, de Educação e de Assistência Social em alusão a Semana Mundial de Aleitamento Materno desenvolvem atividades de aleitamento e alimentação saudável junto a comunidade.

7. Como a Unidade de Saúde lida com as regras da NBCAL? Existe alguma experiência  sobre essa situação dentro da UBS ou em áreas vizinhas, como creches, farmácia...?

  • Nas UBS temos como referência a Nota Técnica 2012 do MS que discorre sobre o “Aleitamento Materno, Distritbuição de Leites e Fórmulas Infantis em Estabelecimentos de Saúde e a Legislação”;

Certificação de 09 Creches em 2014 como “Amiga da Criança”  reuniu as áreas técnicas de Nutrição, da Criança e Saúde Bucal para realização de oficinas com os temas de “Aleitamento Materno”, “Alimentação Complementar Saudável até 2 anos” e “Escovação Adequada” tendo como público-alvo todos os profissionais das creches, desde os  trabalhadores da cozinha até os diretores de cada uma.

Nesta ação, graças a logística de trabalho da Secretaria Municipal de Educação/SEMED nenhuma criança ficou sem aula e no mês de junho foi concluído o trabalho em 100% das creches. A partir daí, estimulados pela Gerência de creches da SEMED os profissionais capacitados, especialmente, os professores iniciaram a aplicação dos conteúdos trabalhados nas rotinas na creche, conseguindo resultados que hoje já podem ser contabilizados, dentre eles: 100%  das creches sem o uso de mamadeiras e chupetas; Alimentação saudável das crianças; Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento das crianças periodicamente e Escovação Adequada no cotidiano. Além disso, todas as creches trabalham o tema do Aleitamento Materno nas suas rotinas.

Em áreas vizinhas  - Incentivo ao cultivo de Horta Orgânica em uma Unidade de Saúde.

8. Você poderia descrever como acontece o fluxograma de atendimento das crianças na UBS? 

UNIDADE DE SAÚDE COM ESTRATÉGIA AMAMENTA E ALIMENTA BRASIL
FLUXOGRAMA DE ATENDIMENTO AO BINÔMIO MÃE-BEBÊ EM AMAMENTAÇÃO
 

Você deseja destacar mais alguma experiência positiva do seu município relacionada à Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil? Fique a vontade!

Sim! Durante a Semana Mundial de Amamentação - SMAM 2016 realizamos o Festival da Semana do Bebê Manauara em bairros de alta vulnerabilidade, inclusive em área Ribeirinha.

Aproveitamos o Lançamento da Primeira Infancia Manauara e focamos nas crianças na Faixa etária de 0 a 6 anos (incluindo as Gestantes e familiares das crianças).

Entre as atividades realizadas tivemos um espaço para EXPOSIÇÃO do Aleitamento materno e Alimentação complementar saudável – trabalhamos a inserção dos alimentos desde o nascimento até a introdução de outros alimentos. Além de reforçar aos pais das crianças a importância de oferecer os alimentos saudáveis, não apenas em casa, bem como, os lanches que as crianças levam para escola.

Image
 

Festival da semana do bebê manaura (passe o cursor sobre a foto para aumentá-la).

 

Image
 Equipe de Nutrição em Ação do Monitoramento do Crescimento e Desenvolvimento Infantil e Pormoção da Alimentação Saudável em comunidade indígena do DISA Oeste (passe o cursor sobre a foto para aumentá-la).

Image

Ação de promoção do Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável nas creches - Equipe de Nutrição e Saúde da Criança (passe o cursor sobre a foto para aumentá-la).

 

 

Relato feito por:

Ivone Amazonas Marques Abolnik - SEMSA/DAP/GRC/Chefe do Núcleo de Saúde da Criança e Adolescente

Mara Nogueira Varela - SEMSA/DAP/GRC/Técnica do Núcleo de Saúde da Criança e Adolescente

Tânia Maria Carvalho Batista - SEMSA/DAP/GAP/ Chefe das Ações de Saúde de Alimentação e Nutrição

Secretaria Municipal de Saúde 
Departamento de Atenção Primária 
Gerência da Rede Cegonha 
Àreas da Saúde envolvidas: NÚCLEO DE SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE/NUSCA e AÇÕES DE SAÚDE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO/ASAN
Contatos: (92) 3236-8179
E-mail: saude.crianca@pmm.am.gov.br


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Quinta-feira 10 de Novembro, 2016 09:41:12 BRST por redenutri@unb.br. (Versão 8)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais