Carregando...
 

Campanha de suplementação de vitamina A e ferro, relato de uma experiência criativa 

Autores do relato: Carla Dias Dutra; Raquel de Oliveira Antunes; Rosane GehlingReimche; Françoise ReinhardtZuge; Angela BereniceBarbosa Rodrigues; Rita Mara Barcellos Dutra

Local da experiência:  Aceguá, Rio Grande do Sul. 

Local de implementação: Município Aceguá

Qual o público alvo? Crianças

Qual foi a experiência desenvolvida?

A partir da adesão do município de Aceguá ao programa de suplementação de vitamina A em 2015, a equipe de saúde da família decidiu inovar, aliando à suplementação outras atividades, ofertando uma ação mais integral. Para tanto, a equipe fortaleceu a comunicação, realizou reuniões e organizou ações combinadas e programadas. À medida que as idéias foram saindo do papel, outros profissionais foram se somando à equipe idealizadora do projeto. 

A constatação da baixa adesão da suplementação de ferro no município foi encarada como
oportunidade de aliar as ações. Ficou estabelecida a periodicidade semestral para a realização
das atividades, que foram desenvolvidas: na unidade móvel, permitindo o acesso de crianças
residentes na zona rural; na sede do município, para residentes na zona urbana; e colônia
nova, para residentes nesta localidade e arredores. O município, através da secretaria
municipal de saúde contribuiu oferecendo instalações, transporte, material informativo,
instrumentais de trabalho, material de decoração e aluguel dos brinquedos e som.

Na primeira campanha a divulgação foi feita pelos ACS, foi disponibilizado transporte à população, realizada orientação e distribuição de material informativo e kits de saúde bucal,
disponibilizados escovódromos para escovação dental, atualização do calendário vacinal,
verificação de medidas antropométricas, degustação de alimentos ricos em vitamina A e ferro e distribuição das receitas destes. Para atrair as crianças, brinquedos infláveis, música e
brincadeira. As ações foram realizadas conforme as possibilidades de cada local, à exceção da
suplementação, as demais atividades tiveram caráter optativo.

Na segunda campanha, mantiveram-se as atividades realizadas na primeira, qualificando-as. A divulgação foi ampliada através de redes sociais e aplicativos de celular, as avaliações antropométrica, odontológica e da situação vacinal passaram a ser realizadas sistematicamente em todas as crianças. Incentivando a agricultura de subsistência e em parceria com o horto municipal, distribuiu-se mudas de hortaliças ricas em vitamina A e ferro em embalagens confeccionadas artesanalmente pela equipe utilizando caixas de leite decoradas.

Alguns desafios como falta de verba para a compra dos alimentos, mudas e embalagens surgiram, mas a motivação da equipe levou a resolução de cada problema. A experiência favoreceu a mudança no processo de trabalho, pois estimulou a união da equipe e desafiou a busca por alternativas para tornar possível o objetivo de incentivar a população a transformar a rotina alimentar, e em meio a essa busca, muitas idéias para futuras ações surgiram. Essa experiência contribuiu, mesmo que despretensiosamente com algumas diretrizes da PNAN como a organização da atenção nutricional, promoção da alimentação adequada e saudável, vigilância alimentar e nutricional e participação e controle social;

Contato: cadidu83@hotmail.com


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Quarta-feira 29 de Março, 2017 16:43:04 BRT por redenutri@unb.br. (Versão 1)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais