Carregando...
 

Você é um vigilante do seu bairro? 

Autores do relato: Andréia de Brito Fernandes Vieira 

 Local da experiência: Palhoça, Santa Catarina. 

Local de implementação: Unidades Básicas de Saúde

Qual o público alvo? Técnicos de Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde

Qual foi a experiência desenvolvida?

O curso foi ministrado para 160 profissionais dentre estes Técnicos de Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Foram divididos em oito turmas de 4 horas cada em 4 dias da semana de 11 de julho à 15 de julho de 2016. O Curso iniciou com a seguinte pergunta: “você é um vigilante alimentar e nutricional no seu bairro? As respostas foram bem variadas nas diferentes turmas.

Inicialmente foi esclarecido o que é ser um vigilante e especificamente alimentar e nutricional e também da importância de possuir um olhar diferenciado para as famílias que os participantes acompanham. Orientamos sobre a importância de conhecer o Guia Alimentar para população brasileira e que o possuem disponível na UBS onde trabalham. Foi ressaltado que segundo Ministério da Saúde (2006) as taxas de sobrepeso e obesidade no país cresceram de forma acentuada nas últimas três décadas. Além disso, conforme o Caderno de Orientações para a APS (2006), determinados padrões alimentares, aliados ao sedentarismo repercutem de maneira deletéria à saúde da comunidade.

A promoção de práticas alimentares e modos de vida saudáveis configuram-se em um grande desafio, tanto para a população, quanto para às equipes. Também foi reforçado a importância do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) sendo uma ferramenta capaz de produzir informações para a qualidade de vida das crianças e famílias brasileiras, como disponibilidade de alimentos; aspectos qualitativos e quantitativos da dieta consumida; práticas de amamentação e perfil da dieta complementar pós-desmame; e identificação da prevalência da desnutrição energético proteica, entre outros fatores relacionados às enfermidades crônicas não transmissíveis.

Foi orientado que o acompanhamento do estado nutricional de cada criança é fundamental para detectar uma situação de risco, apontando para o desenvolvimento de ações que possibilitem a prevenção de seus efeitos e a garantia da reversão ao quadro de normalidade. No curso ensinamos como realizar as medidas antropométricas. Também foi demonstrado como preencher as fichas de cadastro do SISVAN e acompanhamento bem como proceder na hora de aplicar o marcador de consumo alimentar. 

O curso foi dividido em dois momentos: teórico e prático. Na prática os alunos realizaram uma encenação de situações reais que acontecem no cotidiano do trabalho e como eles deveriam proceder de acordo com informações repassadas no curso. Percebemos na prática que os profissionais não repassavam as informações para as famílias sobre o que era e a importância do SISVAN e alguns consideravam a Caderneta de saúde da criança como simplesmente a “carteirinha de vacina”.

Ao final do curso foi feito o mesmo questionamento inicial “Você é um vigilante Alimentar e Nutricional no seu bairro” e todos os participantes do curso passaram a se considerar e foram estimulados a compartilhar essas informações nas Equipes onde trabalham.

Contato: abnutricionista@gmail.com


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Quarta-feira 03 de Maio, 2017 11:34:44 BRT por redenutri@unb.br. (Versão 1)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais