Carregando...
 
Entrevista Obesidade - Suzete Marcolan

Image

 

1) Pesquisas recentes mostram que o sobrepeso e a obesidade acometem cada vez mais pessoas de todas as faixas etárias em todo o mundo. Na sua opinião, o que tem contribuído mais significativamente para o crescimento dos índices de sobrepeso e obesidade? 

A Contemporaneidade se apresenta com algumas mudanças no comportamento humano e hoje já se sabe que o excesso de peso é determinado por fatores ambientais, socioeconômicas, culturais, genéticos, metabólicos e psíquicos.  Portanto, a obesidade não se trata de um distúrbio relacionado somente a maus hábitos e pouca determinação do indivíduo, mas sim em relação dele com o meio em que vive.  O excesso de peso muitas vezes torna-se uma condição crônica difícil de tratar, envolvendo o surgimento de comorbidades comprometendo a saúde e o bem estar dos indivíduos. 

2)  Visando a proteção e promoção da saúde da população, o Ministério da Saúde, tem criado estratégias para frear o crescimento dos índices de sobrepeso e obesidade. Dentre essas estratégias, está o Laboratório de Inovação em Manejo da Obesidade o qual busca experiências interessantes, em diferentes locais do país, e compartilha os sucessos obtidos pelas equipes de saúde. O que você acha dessa iniciativa? 

Sem dúvida esta é uma iniciativa que vem ao encontro das necessidades dos profissionais de saúde e da população, em relação à linha de cuidado em obesidade.  Este espaço de troca de experiências oriundas de diversas regiões do país aponta para diferentes realidades, cujos sucessos tanto no tratamento do excesso de peso como em estratégias de prevenção da obesidade e promoção da saúde devem ser compartilhados.  Nesta ocasião, o Instituto de Nutrição Annes Dias – SMS RJ, agradece a oportunidade de partilhar sua experiência no desenvolvimento de ações de promoção, de prevenção e de organização da rede de saúde da cidade voltadas para o cuidado nutricional da obesidade e comorbidades associadas. 

3) Em fevereiro, o Ministério da Saúde visitou os Centros de Referência em Obesidade nos bairros de Penha e Acari, no Rio de Janeiro, e elogiou a experiência. Como nutricionista do INAD, órgão da Secretaria Municipal de Saúde, responsável pela implantação e implementação de um serviço, voltado ao acompanhamento clínico de portadores de obesidade, pode nos contar um pouco sobre a experiência desses Centros e o trabalho desenvolvido?

Em agosto de 2011, o município do Rio de Janeiro implantou o primeiro Centro de Referência em Obesidade (CRO), situado no bairro de Acari, e no ano seguinte mais dois, nos bairros da Penha e de Madureira. O Instituto de Nutrição Annes Dias - SMS é o órgão técnico responsável pela implantação implementação deste serviço. Cada CRO é composto por uma equipe multiprofissional especializada: médico endocrinologista; enfermeiro; nutricionista; psicólogo, educador físico e profissional administrativo, além de um gerente que responde pelas três unidades.  Foram estabelecidos como critérios de inclusão no serviço: indivíduos adultos com IMC ≥ 40 Kg/m2 associado à diabetes ou IMC ≥ 50 Kg/m2.

O CRO realiza o acompanhamento clínico dos pacientes por uma equipe multiprofissional. As consultas são agendadas de acordo com o protocolo do CRO, que inclui consultas individualizadas por todos os profissionais que compõem a equipe e incentivo à participação em grupos interdisciplinares, operativos e no programa de exercício e atividade física. Pacientes em acompanhamento regular no CRO há pelo menos um ano, que tenham  adesão ao tratamento, com perda de peso e que manifestem desejo em realizar cirurgia bariátrica, salvo contraindicações ao procedimento, são encaminhados via Sistema de Regulação (SISREG) para os serviços de referência.As equipes se reúnem uma vez por semana para discussão dos casos clínicos e decisões sobre o tratamento de forma singular, para organização do serviço, troca de experiências, planejamento de atividades tais como grupos educativos, matriciamento voltados a Estratégia de Saúde da Família e planejamento de atividades extramuros. 

4) Como nutricionista, o que você diria aos demais profissionais da saúde (nutricionistas ou não) participantes da RedeNutri, para que elas possam adotar estratégias de promoção a alimentação saudável bem como incentivar a população a se envolver com temas relacionados à Alimentação e Nutrição? 

Na minha experiência profissional seja nas unidades de saúde, seja nas escolas ou mesmo na mídia, a melhor estratégia para a promoção da alimentação saudável é a realização de oficinas de culinária.  Estas propiciam para as diferentes fases do curso de vida, de forma lúdica e experiencial a concretização das premissas da alimentação saudável, o prazer em cozinhar e a descoberta ou mesmo a redescoberta para sabores e o cuidado com si e com o outro.                                                  

Email: suzetemarcolan@uol.com.br
Telefone INAD: 21 2295-7398
Celular: 21 99945-7000 

 


Contribuíram para esta página: redenutri@unb.br .
Última modificação da página em Quinta-feira 21 de Janeiro, 2016 10:26:08 BRST por redenutri@unb.br. (Versão 1)

Enquete

A Portaria 1.055 publicada em 25/04/2017 para o Programa Saúde na Escola prioriza ações de prevenção à obesidade infantil. Qual das ações propostas você considera mais desafiadora?





Anti-Bot verification code image Outro código

File is not an image.

Redes Sociais