As necessidades de ferro durante os primeiros anos de vida e durante a gestação são muito elevadas, por isso recomenda-se a adoção de medidas complementares ao estímulo à alimentação saudável, com o intuito de oferecer ferro adicional de forma preventiva.

Assim, dentre as ações existentes, a prevenção de anemia por deficiência de ferro deve ser planejada com suplementação de ferro medicamentosa em doses profiláticas.

No Brasil, a suplementação profilática com sulfato ferroso é uma medida adotada desde 2005 com o Programa Nacional de Suplementação de Ferro (PNSF).

O PNSF consiste na suplementação profilática de ferro para:

  • Crianças de seis a 24 meses de idade diariamente até completar 24 meses: 1 mg de ferro elementar/Kg
  • Gestantes diariamente até o final da gestação: 40 mg de ferro elementar + 400 mcg de ácido fólico**
  • Mulheres no pós-parto e pós aborto diariamente até o terceiro mês pós-parto/pós-aborto: 40 mg de ferro elementar.

Importante: A suplementação de ferro é recomendada para o cuidado para reduzir o risco de baixo peso ao nascer da criança, anemia e deficiência de ferro na gestante.

Curiosidades para o cuidado de crianças:

- Crianças em aleitamento materno exclusivo só devem receber suplementação a partir do sexto mês de idade. Se a criança não estiver em aleitamento materno exclusivo, a suplementação poderá ser realizada a partir dos quatro meses de idade, juntamente com a introdução dos alimentos complementares.

- As crianças e/ou gestantes que apresentarem doenças que cursam por acúmulo de ferro, como doença falciforme, talassemia e hemocromatose, devem ser acompanhadas individualmente para que seja avaliada a viabilidade do uso do suplemento de sulfato ferroso. Ressalta-se que a complementação de ferro oral a essas crianças deve ser considerada, por apresentarem igual chance de desenvolverem anemia por deficiência de ferro na fase de crescimento.

- A suplementação profilática com ferro pode ocasionar o surgimento de efeitos colaterais em função do uso prolongado. Os principais efeitos são: vômitos, diarreia e constipação intestinal. É fundamental a orientação das famílias quanto à importância da suplementação para que a adesão seja efetiva.

Curiosidades para o cuidado de mulheres:

- Todas as mulheres até o terceiro mês pós-parto devem ser suplementadas apenas com ferro, mesmo que por algum motivo estejam impossibilitadas de amamentar.

- O sulfato ferroso possui como limitante as intercorrências gastrointestinais, como vômitos, diarreia, constipação intestinal, fezes escuras e cólicas. Por isso, destaca-se a necessidade de orientação quanto aos possíveis efeitos e a necessidade de manter a suplementação até o final da gestação.

Obs.: A suplementação com ácido fólico deve ser iniciada pelo menos 30 dias antes da data que a mulher planeja engravidar e deve ser mantida durante toda a gestação para a prevenção de anemia.