O beribéri é uma doença causada pela deficiência de tiamina (vitamina B1), que apesar de ser tratável, pode levar ao óbito.

O primeiro relato científico sobre beribéri foi feito por Bontius (1592-1631) que descreveu casos no sudeste asiático e usou a denominação beribéri. Os primeiros pesquisadores a investigar a causa da doença acreditavam que era a ingestão de alimentos contaminados por bactérias, principalmente o arroz. Posteriormente, Gerrit Grijns foi o responsável por mostrar que a doença era decorrente a uma carência nutricional devido ao fato de o arroz branco não fornecer as quantidades necessárias de vitamina B1.

No Brasil, os casos mais recentes ocorreram, a partir de 2006, após o surgimento de óbitos em adultos jovens por causa mal definida no estado do Maranhão. Mais tarde, novos casos foram notificados nos Estados de Tocantins e Roraima. Entre os anos de 2006 e 2015, foram confirmados 2.201 casos de Beribéri nos Estados do Maranhão, Roraima e Tocantins, sendo que 48 pacientes evoluíram à óbito.

Sua relevância epidemiológica se deve ao fato de acometer, majoritariamente, jovens adultos do sexo masculino, e pela sua capacidade de causar surtos e epidemias.

A carência de tiamina pode levar dois a três meses para manifestar os sintomas (o organismo humano não consegue manter reservas duradouras dessa substância) que são leves como insônia, nervosismo,  fadiga, perda de apetite  e evoluem para quadros mais graves como edema de membros inferiores, dificuldade respiratória e cardiopatia.

O beribéri é determinado pelas condições de vida e trabalho dos indivíduos, sendo necessário políticas públicas de saúde e políticas sociais para o seu enfrentamento. Grande parte dos surtos está associado a condições de pobreza e fome relacionando-se a condições de graves insegurança alimentar e nutricional, alimentação monótona baseada em arroz polido, elevado teor de carboidratos simples e também alguns grupos de risco como alcoolistas, gestantes, crianças e pessoas que exercem atividade física extenuante.

Essa doença também pode ser evidenciada em pacientes com nutrição parenteral (se não for incluída tiamina), obesos com dietas restritas, indivíduos com alta ingestão de carboidratos e baixo consumo de alimentos com tiamina.

O diagnóstico de beribéri é clinico e o tratamento é feito com reposição de tiamina.

Alimentos fonte de Vitamina B1

Essa vitamina é encontrada em alimentos como cereais, grãos, hortaliças, leveduras, nozes e carnes (especialmente vísceras, carne de porco e de vaca). A tiamina é  uma substância importante para o metabolismo dos carboidratos e aminoácidos, essencial nas reações que produzem energia.  

A tiamina é uma vitamina hidrossolúvel e termolábil, podendo ser danificada com o modo de preparo e cozimento dos alimentos, por exemplo, quando o arroz é lavado antes do cozimento e no próprio processo de cozimento.

Além disso, é importante considerar a existência de substâncias com atividades antitiamina, as quais podem estar presentes em folhas fermentadas e extratos de folhas de chá, nozes de certos tipos de árvores, peixe cru, mariscos e café (cafeínado e descafeínado).