De acordo com o Manual de Implementação: Estratégia nacional para promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saudável no Sistema Único de Saúde(external link), a implementação da estratégia é  realizada por meio das seguintes ações:

1. Formação de facilitadores 

Os facilitadores são profissionais responsáveis por conduzir as atividades e dar apoio técnico na formação de tutores da Estratégia, podendo ser de três tipos: nacionais, estaduais e municipais. Eles são formados nas Oficinas de Formação de Tutores, assim como os tutores, mas são definidos conforme indicação das secretarias de saúde em âmbito local, seguindo critérios pré-definidos. 

Dentre as atribuições do facilitador, que é o profissional mediador das atividades de formação de tutores e da oficina de trabalho na UBS, estão: ser neutro em relação à solução para o problema criado pelo grupo, objetivo em relação às alternativas e às possibilidades para esta solução e  comprometido, eticamente, com a colaboração e a decisão democrática da solução do problema. O facilitador é o negociador para o processo dentro do contexto, preocupado em tornar os participantes conscientes de suas próprias opiniões por meio de reflexão, resumo e clareza. 

2. Formação de tutores

Os tutores são profissionais responsáveis por disseminar a Estratégia e realizar oficinas de trabalho nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do seu âmbito de atuação. São os pilares da Estratégia e devem apoiar o planejamento e o acompanhamento e/ou fortalecimento de ações de promoção, de proteção e de apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar saudável nas UBS, de forma contínua, considerando a educação permanente em saúde, com base nos princípios da educação crítico-reflexiva.

Os tutores são formados nas Oficinas de Formação de Tutores e o convite é feito pela coordenação da Estratégia em âmbito local.

O objetivo da Oficina de Formação de Tutores é capacitar profissionais para a utilização dos referenciais da educação crítico-reflexiva e educação permanente em saúde no ensino e aprendizagem do aleitamento materno e da alimentação complementar saudável, instrumentalizando-os para exercerem a função de tutores da Estratégia.

3. Realização de oficinas de trabalho nas Unidades Básicas de Saúde

As oficinas têm por objetivo:

  • Discutir a prática do aleitamento materno e da alimentação complementar saudável no contexto do processo de trabalho das UBS;
  • Incentivar a pactuação de ações para promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e à alimentação complementar saudável, de acordo com a realidade local e;
  • Estimular a construção das relações de cooperação entre a equipe e os diferentes níveis de atenção, por meio do apoio matricial e da construção de linhas de ação.

 

Durante a oficina de formação de tutores, o participante será instrumentalizado para conduzir a oficina de trabalho nas UBS, que é o ponto de partida para a implementação da Estratégia na Atenção Básica.

O Manual (external link)apresenta o passo a passo para a organização das oficinas (Páginas 31 a 38). Consulte-o sempre que necessário!

4. Monitoramento 

O monitoramento tem como objetivo acompanhar de forma periódica e permanente o processo de implementação da estratégia e redirecionar as ações propostas para atender e superar as metas preestabelecidas. 

Será realizado por dois sistemas: o Sistema de Gerenciamento da Estratégia (external link)e o Sistema de Informação da Atenção Básica vigente.

Para monitorar o processo de implementação da Estratégia, é de responsabilidade das esferas de gestão estadual e municipal informar ao MS, por meio do sistema de gerenciamento da Estratégia, as oficinas de formação de tutores realizadas por eles, assim como o número de tutores formados e o número de profissionais envolvidos na oficina. As ações planejadas e realizadas nas UBS também devem ser inseridas no sistema. 

Cabe ao tutor da UBS informar as oficinas de trabalho e as atividades complementares realizadas, o número de profissionais envolvidos, os planos de ação, entre outras informações que o sistema solicitar. 

A fim de avaliar os resultados de possíveis mudanças nas práticas alimentares, serão utilizados os indicadores de aleitamento materno e de alimentação complementar dos relatórios gerados pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan-web) para crianças de zero a 24 meses ou por meio do Sistema de Informação da Atenção Básica vigente.

5. Certificação

A certificação das equipes de Atenção Básica poderá acontecer de duas maneiras: (1) para as equipes de Atenção Básica que fazem parte do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (Pmaq – AB); e (2) para as equipes de Atenção Básica que não fazem parte do Pmaq-AB.

No próximo texto falaremos com mais detalhes sobre a certificação para a implementação da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil na atenção básica! Aguardem novidades!!

Quer saber informações mais detalhadas sobre cada ação?! Acesse o Manual de Implementação: Estratégia nacional para promoção do aleitamento materno e alimentação complementar saudável no Sistema Único de Saúde(external link)