Novo estudo conclui que quanto mais rápido a pessoa come, maior a probabilidade de ele ou ela ter excesso de peso.

Pesquisadores japoneses estudaram 59.717 pessoas que tinham sido diagnosticadas com Diabetes Tipo 2. Com análises periódicas durante seis anos, eles coletaram dados sobre obesidade, circunferência de cintura, hábitos alimentares e de sono, consumo de álcool, medicamentos utilizados e hábito de fumar.

Os pesquisadores categorizaram os sujeitos como alimentação "rápida", "normal" ou "lenta", baseada em autorrelatos.

Depois de controlar outros fatores, eles encontraram que, comparado com os que comiam mais devagar, o comer "normal" teve 29% mais chance e o rápido, 42% mais chance de ser obeso. Ir dormir duas horas depois de jantar e beliscar depois do jantar também foram associados com obesidade; pular o café da manhã não.

O estudo, no BMJ Aberto, encontrou associação, não uma relação causal. Mas os pesquisadores sugerem que uma possível razão para a associação é que quem come mais rápido pode continuar comendo sem o organismo dizer que já comeu o bastante, enquanto quem come devagar tem tempo para começar a sentir-se satisfeitos, então param.

Os pesquisadores não tinham dados sobre atividade física e consumo energético, os quais poderiam alterar os resultados, e só homens e mulheres japoneses foram incluídos ao estudo, então os resultados podem não ser aplicáveis a toda a população. Além disso, o estudo dependeu de informações autorrelatadas, o que nem sempre é confiável.